VENDAS DE DISCOS EM PORTUGAL: GALARDÕES, DISCOS MAIS VENDIDOS, ETC...



segunda-feira, 8 de março de 2010

Ponto de Situação 1969



De 30 de Novembro a 1 de Dezembro de 1969 realizou-se, em Ofir, a primeira convenção de editoras promovida pela Arnaldo Trindade. O mercado era sobretudo de EP's (discos semelhantes ao single mas com 4 faixas). Havia poucos artistas portugueses com álbuns: Amália Rodrigues, Pop Five Music Incorporated (da editora Orfeu), Conjunto Académico João Paulo e pouco mais. O formato também era recente. Mesmo de artistas internacionais eram por vezes lançados vários Ep's em vez da edição do LP.

Nesta altura estava prevista a abertura de uma fábrica portuguesa que pudesse produzir discos de vinil a preços mais satisfatórios.

Eram vendidos cerca de 2 milhões de discos. O que representava um aumento de 12% em relação a 1968.

Não existiam qualquer tipo de tabelas de vendas indicadoras dos discos mais vendidos.
(recorte Revista Billboard de 20/12/1969, http://arnaldotrindade.no.sapo.pt/recortes.htm)

O suplemento "A Mosca" (Diário de Lisboa) e a revista "Mundo Moderno" divulgavam listas com alguns dos discos mais procurados em algumas das lojas de discos.

1 comentário:

Anónimo disse...

É impossível referir os anos 60 sem mencionar o enorme êxito do fadista António Mourão e o seu EP "Oh Tempo Volta P'ra Tràs", que se dizia ter vendido mais de 200.000 exemplares até ao final da década. - A. Guedes