VENDAS DE DISCOS EM PORTUGAL: GALARDÕES, DISCOS MAIS VENDIDOS, ETC...



domingo, 9 de maio de 2010

Vendas de discos 1990

Discos Mais Vendidos em 1990

1 - But Seriously - Phil Collins
2 - Mingos & Os Samurais - Rui Veloso
3 - Mosaique - Gipsy Kings
4 - Existir - Madredeus
5 - I'm Breathless - Madonna
6 - Pump Up The Jam - Technotronic
7 - The Very Best Of - Cat Stevens
8 - Amazónia - Roberto Carlos
9 - In Concert - José Carreras, Plácido Domingo e Luciano Pavarotti
10 - The Wall Live In Berlin - Roger Waters

Fonte: AFP

Álbuns em destaque:

Superdisco 89 - Vários (Superdisco/Edisom) (1#1)
But Seriously - Phil Collins (14#1)
A Mais Bonita - Onda Choc - #2
Genius 89 - Vários - #3
Hit Parade - Vários (1#1)
Rara e Inédita - Amália Rodrigues - #2
Road To Hell - Chris Rea - #3
Só Nós Três - Paulo de Carvalho / Carlos Mendes / Fernando Tordo - #3
Amazónia - Roberto Carlos (1#1)
Colour - Christians - #3
Tudo Por Amor - Simone - #3
Fafá  - Fafa de Belém - #3
I Do Not Want - Sinead O'Connor - #3
Legend Of The Eagles - Eagles (1#1)
Pump Up The Jam - Technotronic (1#1)
Mosaique - Gipsy Kings (2#1)
Changes Bowie - David Bowie - #3
Gritos Mudos - Xutos & Pontapés - #5
The Very Best of - Cat Stevens (5#1)
Cantando pela Praia - Onda Choc - #2
Existir - Madredeus (3#1)
I'm Breathless - Madonna (1#1)
Mingos & Os Samurais - Rui Veloso (15#1)
Listen Without Prejudice - George Michael - #3
In Vivo - GNR - #3
In Concert - José Carreras, Plácido Domingo e Luciano Pavarotti - #2
The Wall Live In Berlin - Roger Waters - #2
Serious Hits - Phil Collins - #2
The Very Best of - Elton John (1#1)
The Classic Experience - Vários (EMI) - #3
Lambada - Kaoma (9#1)
Trovante / António Pinto Basto / Ministars / Carlos Guilherme
+

Assim, dentro dos galardões de platina (prémio máximo por vendas de quarenta mil exemplares) atribuídos pela AFP no ano passado, mais de metade eram títulos nacionais, com especial destaque para o pai da MMP, Rui Veloso, e o seu duplo "Mingos e os Samurais", que bateu todos os recordes com um simples, dois triplos, e dois quádruplos de platina.

Outro aspecto digno de nota na evolução do nosso mercado é a forte propensão para os portugueses comprarem preferencialmente música portuguesa, facto que se espelha na forte representação de autores nacionais entre os galardoados com distinções em prata, ouro e platina no ano passado. (...) dos dezoito discos de platina atribuídos em 1990 só oito eram títulos estrangeiros, assinados por apenas cinco formações estrangeiras (Phil Collins arrecadou dois simples e um duplo platina).

Há, contudo, colecções de êxitos e discos ao vivo no nível mais alto da platina, caso da maior parte dos títulos, dos GNR a Madonna, de Elton John a Phil Collins. As únicas excepções são os Enigma e o seu "MXMXC A.D" e "Mingos & Os Samurais" de Rui Veloso, que chegou à sétima platina.

A lista de galardoados com álbuns de platina (...) incluía [também] os Trovante, António Pinto Basto, Onda Choc, Ministars, Carlos Guilherme, Rui Veloso e o "Só Nós Três", e poucos estrangeiros.

Público

--Singles em destaque:

The Best - Tina Turner - #2
Fata Morgana - Amazónia Band - #2
Swing The Mood - Jive Bunny - #2
Right Here Right Waiting - Richard Marx - #3
Another Day In Paradise - Phil Collins (2#1)
Pump Up The Jam - Technotronic + Felly (14#1)
Runaway - Del Shannon - #3
Volare - Gipsy Kings - #2
Get Up - Technotronic - #3
I Can See Clearly Now (Remix) - Johnny Nash - #2
Pirilampo Mágico 1990 - Vários (1#1)
Baby Can I Hold You - Tracy Chapman (2#1)
Nothing Compares 2 U - Sinead O'Connor (2#1)
Um Amor Em Cada Porto - Marco Paulo - #3
Não Há Estrelas No Céu - Rui Veloso - O (16#1)
Vogue - Madonna - #2
Insieme 92 - Toto Cutugno - PR - #2
Praying For The Time - George Michael - #2
What's A Woman - Vaya Con Dios - #3
+Ai, Ai, Meu Amor - Marco Paulo - O/P
Sacrifice - Elton John
+

Ainda em 1990, houve cinco 45 rotações de prata, três de ouro e quatro de platina. Em 1990, [Marco Paulo foi o grande vencedor em singles com] "Um amor em cada porto" foi prata e ouro; "Ai, ai, meu amor" chegou a ouro e platina; "Joana" [editado em 1988] foi três vezes platina. Ao lado dele, em platina, só a "Lambada", dos Kaoma [de 1989]; em ouro "Não há estrelas no céu", de Rui Veloso; em prata "Pump Up The Jam", dos Technotronic, e "Insieme", de Toto Cutugno.

Os outros dois singles mais vendidos foram "Nothing Compares 2 U", por Sinead O'Connor, escrito há anos por Prince, e "Sacrifice", por Elton John, mais um produto da sua infindável colaboração com Bernie Taupin.

Público

AUMENTO DE 40%

Os ingleses queixam-se de falta de novos artistas de sucesso, os franceses lamentam a concorrência entre as grandes cadeias de retalhistas, os espanhóis estão preocupados por a extinção do vinil não ser acompanhada por suficiente crescimento do CD. Em contrapartida, os empresários portugueses estão satisfeitos, uma vez que o nosso mercado, de 1989 para 1990, registou um aumento de facturação na ordem dos quarenta por cento (de 3.768.112 para 5.275.202 contos), segundo a contabilidade da Associação Fonográfica Portuguesa (AFP), que integra a maioria -- mas não todas -- as empresas do sector.

Público, 1991

A indústria fonográfica facturou mais quarenta por cento em 1990, que no ano precedente, um benefício que se deve e reverteu sobretudo a favor dos artistas portugueses. A associação do sector está contente com a sua contabilidade, mas quer nova legislação que corresponda aos objectivos do mercado europeu.

A referida explosão meteórica do CD fez-se em geral noutros mercados de par com uma proporcional descida do vinil, que actualmente já não é fabricado de forma maciça e tende para a completa extinção. Em contrapartida, em Portugal esse eclipse não tem sido tão rápido e, se há uma descida acentuada na facturação de singles (menos quarenta e cinco por cento de 89 para 90), já no capítulo dos LPs ela não é significativa (menos de três por cento). Ou seja, se nos mais importantes mercados, o vinil já desapareceu, e a corrida aos discos compactos caminha para o fim, entre nós não apenas o CD está em pleno crescimento, como ainda o LP está longe de desaparecer.

Público, 1991

CASSETES

A obrigatoriedade de um selo de autenticação também nas audiocassettes só começou a vigorar no ano passado, calculando-se que até então, de um mercado de 7 milhões de fonogramas, apenas 2 milhões se encontrassem em situação legal.

No ano passado a Guarda Fiscal destruiu cassetes ilegais no valor de 350 mil contos, o que segundo a corporação deverá corresponder a cerca de 10 por cento do total de fonogramas e vídeogramas colocados no mercado pirata.

É fácil de compreender porque é que não têm sido objecto de perseguição legal: tais fonogramas anunciam o melhor de Turner ou dos Boys, mas não declaram de facto que são eles os intérpretes dos temas e, por outro lado, referem correctamente os nomes dos compositores, de modo que é de supor que lhes pagam os devidos direitos de autor.

O facto de a performance comercial da cassete áudio, ao contrário de todos os formatos do disco em vinil, não ter sido afectada pelo boom do disco compacto é uma das conclusões mais significativas que se tiram (...).

Público, 1991

As companhias aderentes à AFP, tirando a Polygram e sobretudo a BMG, baixaram em 1990 a sua quota relativa no mercado da música portuguesa. O que, à primeira vista, levaria a concluir que se tratou de um ano medíocre, se não desastroso, para essas empresas fonográficas. Só que, segundo os seus dirigentes, as quotas de mercado não são um indicador decisivo, ou pelo menos há outros factores com que se deve contar para efeitos de balanço. Assim, de onde seriam de esperar confissões de desalento e queixumes variados, acabamos por ouvir saldos relativamente positivos ou mesmo optimistas. (Público)

Sem comentários: