Mensagens

A mostrar mensagens de Agosto, 2012

Editoras - Rankings de Vendas

Imagem
1960*

Valentim de Carvalho          --------------------    40,00%
Deutsche Grammophon          ---------------------    15,00%
RCA          -------------------------------------    12,00%
Philips          ---------------------------------        10,00%
Rádio Triunfo (Alvorada)          ----------------    8,00%

Segundo um relatório da EMI, citado por Paul Vernon, a Valentim de Carvalho liderava o mercado nacional, com uma quota de cerca de 40%. Mas outras editoras internacionais estavam presentes: a Deutsch Grammophon (15%), a RCA (12%) e a Philips (10%) (PA/Vernon, 1998: 84).

1972

Alvorada - Radio Triunfo
Arnaldo Trindade
Clave
Estúdio
Marfer (Grande Feira do Disco)
Movieplay
Phonogram
Rapsódia
RCA
Riso e Ritmo
Sassetti
Tecla
Valentim de Carvalho
Zip

1978

Arnaldo Trindade & Cª, Lda. (Orfeu, Fénix)
Discos Rapsódia, Lda.
Rádio Triunfo, Lda. (RT, Alvorada)
Phonogram Portuguesa M.V., S.A.R.L. (Philips)
Vadeca - JC Donas, Lda. (Vadeca, Roda)
Valentim de Carvalho C.I. S.A.R.L. (EMI, VC)

Análise 2000 - 2010

Imagem
Anuário da Comunicação 2006-2007
http://www.obercom.pt

Áudio. 
Quadro 1- Evolução das Vendas do Mercado de Áudio (Unidades), 2000 a 2007
Quadro 2 - Facturação do Mercado de Áudio (Em euros), 2000 a 2007
Quadro 3 - Facturação por Origem (em euros), 2000 a 2007

Anuário da Comunicação 2009-2010
http://www.obercom.pt

Áudio.
Quadro 1- Evolução das Vendas do Mercado de Áudio (Unidades), 2002 a 2010
Quadros 2 e 3 - Facturação do Mercado de Áudio (Eur), 2002 a 2010
Quadros 4 e 5 - Facturação por Origem (Eur), 2002 a 2010
Quadro 6- Facturação do Mercado Digital de Áudio (Eur), 2006 a 2010







QUADROS RETIRADOS DAS EDIÇÕES DO ANUÁRIO DA COMUNICAÇÃO ACIMA REFERIDAS
 agradecimentos ao  OberCom - Observatório da Comunicação

Análise 1986-1991

Imagem
VINIL VS. CD - queda livre

Numa primeira aproximação ao gráfico construído com base nos números da Associação Fonográfica Portuguesa (AFP) para os LP e CD Top (designação atribuída aos suportes vendidos em «full price», isto é, em preço normal), é clara a queda de vendas dos LP e a subida lenta (mas imparável) dos CD. O vinil de longa duração desceu de pouco mais de 2 milhões e 100 mil unidades em 1987 para pouco menos do que 750 mil unidades em 1991.

Somadas, as unidades vendidas em 1987 e em 1991 apresentam una enorme disparidade: cerca de 2 milhões e 350 mil unidades (LP e CD) para o primeiro ano considerado, e apenas cerca de 1 milhão e 650 mil unidades no último caso (igualmente LP e CD). Embora possa parecer que a redução da procura se manifestou negativamente na indústria, a verdade é que a facturação de 1991 é superior à de 1987. Isto porque o preço do CD é bastante superior ao do seu equivalente em vinil.

Só no último ano é que as vendas de CD suplantar…