VENDAS DE DISCOS EM PORTUGAL: GALARDÕES, DISCOS MAIS VENDIDOS, ETC...



sábado, 20 de março de 2010

Vendas de discos 2001

top semana 16/2001- antigo site da Edipim

Discos mais vendidos - 2001

1 - Lara Fabian - Lara Fabian
2 - Acoustica - Scorpions
3 - No Angel - Dido
4 - O Melhor de - Rui Veloso
5 - Morango do Nordeste - Canta Bahia
6 - Now 4 - Vários
7 - The Marshall Mathers LP - Eminem
8 - The Look Of Love - Diana Krall
9 - Hot Shot - Shaggy
10 - Chocolate Starfish & The Hot Flavored Water - Limp Bizkit

Fonte: AFP

Álbuns em destaque ao longo do ano de 2001:

Now 3 - Vários
5--O Melhor de - Rui Veloso (5#1)
The Very Best Of… - UB40 - #2
The Marshall Mathers LP - Eminem - #2
15--Lara Fabian - Lara Fabian (15#1)
Espelho - Anjos - #4/
Play - Moby - #5
Movimento - Madredeus - #2
Parachutes - Coldlay - #4/
No Angel - Dido - #2
Greatest Hits - Billy Idol - #4
Breathe - Faith Hill - #5/
Whoa, Nelly - Nelly Furtado - #3
Reveal - REM - #4/
11--Accoustica - Scorpions (11#1)
Amnesiac - Radiohead - #3
Proxima Estácion: Esperanza - Manu Chao - #4
One Love The Very Best Of - Bob Marley - #3
Jorge Palma - Jorge Palma - #3
4--Hot Shot - Shaggy (4#1)
2--Morango do Nordeste - Canta Bahia (2#1)
Perfil - Adriana Calcanhotto - #3
7--The Look of Love - Diana Krall (7#1)
What Sound - Lamb - #2
Beethoven, Moonlight - Maria João Pires - #4
Cieli de Toscana - Andrea Bocelli - #2
Love Sensuality Devotion - Enigma - #3
8--Echoes - Pink Floyd (8#1) [ver também em 2002]
Best Of - Corrs - #4/
Greatest Hits: Chapter One - Backstreet Boys - #2 [ver também em 2002]
Escape - Enrique Iglesias - #3
Rotten Apples - Smashing Pumpkins - #3
All This Time - Sting - #4/
Now 4 - Vários

+

Singles em destaque:

Touch Me - Rui da Silva
One More Time - Daft Punk
Love By Grace - Lara Fabian
Back To School - Deftones
I'm Like A Bird - Nelly Furtado
Thank You - Dido
Pyramid Song - Radiohead
Elevation - U2
Angel - Shaggy
Can't Get You Out Of... - Kylie Minogue
Bohemian Like You - Dandy Warhols
Turn Off The Light - Nelly Furtado
++

A cantora Lara Fabian passou quase um terço do ano de 2001 no primeiro lugar do top português de álbuns com um álbum que leva o seu nome. De Fevereiro a Maio esteve 15 semanas no topo, um recorde.

Os alemães Scorpions seguiram-se neste top do ano com 11 semanas no primeiro lugar, entre Maio e Agosto, com o álbum "Accoustica", gravado parcialmente em Portugal.

Os Pink Floyd ficaram em terceiro lugar com 8 semanas no mercado do Natal (Novembro/Dezembro) graças à sua colectânea de êxitos, "Echoes".

A cantora canadiana Diana Krall não foi melhor que 7 semanas no primeiro lugar, entre Setembro e Novembro, com o seu álbum mais comercial, "The Look Of Love", uma colecção de versões de "standards" norte-americanos.

O "reggae" de Shaggy ocupou obviamente o primeiro lugar do top no Verão, em Agosto e Setembro, durante 4 semanas com o álbum "Hot Shot" e os brasileiros Canta Bahia estiveram duas semanas no cimo, em Setembro, com "Morango do Nordeste".

Rui Veloso foi o único artista português que em 2001 conseguiu ir ao primeiro lugar do top nacional de álbuns. Esteve cinco semanas no primeiro lugar em Janeiro e Fevereiro (mais duas semanas do ano anterior, num total de 7) com a sua colectânea de sucessos "O Melhor de Rui Veloso".

Netparque, 03/01/2002

 Primeiro semestre de 2001

"No nacional corremos riscos sérios, a passar quase abaixo dos níveis de sobrevivência". As palavras são de David Ferreira, da EMI-VC, e apontam com preocupação a descida de 16 % para 13 % do valor de vendas de repertório nacional no primeiro semestre de 2001. A EMI-VC é a editora com maior score nesta área de repertório, com 39,72 % do total de vendas de discos de artistas nacionais. À EMI-VC seguem-se, neste segmento, a Vidisco (24,46 %), a Universal (10,06 %), a Valentim de Carvalho (5,08 %) e Sony Music (4,89 %). A BMG, em tempos bem colocada no ranking nacional, apresenta uns magros 0,91 %.

Na facturação total é a Universal quem surge no primeiro lugar, com 25,64 % das vendas. Seguem-se, por ordem, a EMI-VC (19,65 %), Sony Music (13,81 %), Warner Music (9,84 %), Vidisco (8,92 %), BMG (6,57 %), Ovação (2,98 %), Som Livre (2,86 %), Zona Música (2,61 %), MVM (2,32 %), Edel (1,84 %), Strauss (1,13 %), Música Alternativa (1,07 %), Valentim de Carvalho (0,68 %) e Farol (0,16 %).

(...)

Sobre outras revelações deste mesmo levantamento, David Ferreira considera "estranhíssima" a quebra nos singles, apontando como "não surpreendente" a descida acentuada na cassete áudio. Refere surpresa pelo facto de haver uma descida na cassete budget, a que deveria corresponder um aumento no CD budget, que não se verifica. "É um mistério, porque estamos a falar do mesmo tipo de consumidores". Em relação ao CD budget (cujo preço médio aumentou de 420 para 707 escudos), pode acrescentar-se que houve editoras que optaram por vender mais caro, mesmo num menor número de unidades, conseguindo mesmo assim uma facturação maior. O mesmo levantamento revela um aumento significativo do peso das compilações na facturação total (14 % há um ano para 20 % em 2001), um equilíbrio nas vendas de música clássica (4 %) e descidas acentuadas nos repertórios nacional (de 16 % para 13 %) e internacional (de 66 % para 62 %).

DN, 10/09/2001

Sem comentários: