VENDAS DE DISCOS EM PORTUGAL: GALARDÕES, DISCOS MAIS VENDIDOS, ETC...



segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Música Pimba

ÁGATA

O sucesso de Ágata só chegou com ‘Perfume de Mulher’, aos 34 anos. Hoje conta com três duplas platinas – ‘Maldito Amor’, ‘Mãe Solteira’ e ‘Abandonada’. ‘Escrito no Céu’ chegou quase a ser tripla platina. A poucos dias do 47.º aniversário – nasceu a 11 de Novembro de 1959 – está a iniciar um romance, tem dois livros infantis e uma autobiografia quase prontos. Nas paredes do seu palacete, em Chaves, tem algumas das suas pinturas a óleo e acrílico. Todas com uma carga esotérica muito forte.

José Manuel Simões / Correio da Manha, 28/10/2006

EMANUEL

Sendo mais específico, o artista e campeão de vendas (mais de 150 mil cassetes e de 10 mil CD vendidos o ano passado, e mais de 100 mil cassetes já vendidas, desde fins de Junho, do seu êxito deste ano, o «Vem bailar o tic-tic») diz reconhecer a existência de três critérios para definir o que é pimba, musicalmente falando. «Para uns, é música ordinária, para outros, música de má qualidade, para outros, música ligeira e popular, ou a fusão das duas coisas», sustenta, no final de hora e meia de espectáculo e de mais de uma hora de autógrafos durante a qual os seus assistentes despacham, entre as fãs, com toda a facilidade cem contos de cassetes, «posters» e «t-shirts». «Ora bem, música ligeira e música popular não é um título, não é um nome que defina um género, à semelhança do jazz, do rock ou do blues. Portanto, se quiserem usar o pimba como um adjectivo para definir ligeira e popular, então pimba serve, como serviria Maria ou Manel ou outro rótulo qualquer...»

Fernando Gaspar / Expresso, 22/08/1998

No ano seguinte, torna-se num fenómeno de popularidade com “Pimba, Pimba” (510 mil cópias vendidas só nos primeiros seis meses).

Biografia de Emanuel / Facebook

Em princípio a pirataria não tem preferências musicais. Só a cor e o cheiro do dinheiro é que contam. E por isso mesmo esse tipo de crime acaba por afectar mais, não por razões artísticas ou de gosto, a chamada música popular - aquela que vende mais no nosso país. Emanuel, por exemplo, tem profundas razões de queixa e preocupação. Disse à "Autores":

"Objectivamente, 80% dos CD's de música popular, portuguesa ou estrangeira, são pirateados nas vendas directas ao público, em feiras e mercados. Sei disso por estar muito atento ao fenómeno, mas basta ver o que se passa comigo". E o que se passa com este artista e autor, é na verdade esclarecedor: o seu último trabalho vendeu 75 mil cassetes, podendo, no máximo e de acordo com previsões, atingir as 90 mil; em contrapartida, no que toca a CD's apenas vendeu 16 mil.

"Numa época em que quase não se vendem cassetes e os CD's são muitíssimo mais procurados, como é que se pode explicar isto?

Todos nós sabemos que, numa situação normal, qualquer artista que venda 80 mil cassetes vende também, no mínimo, 100 mil CD's. Por isso posso dizer que fui pirateado em mais de 100 mil CD's. E como eu, há muitos artistas que são pirateados. O espantoso é que se faça tão pouco na luta contra a pirataria, que prejudica a maioria dos artistas, os autores, a SPA, a indústria fonográfica, o Estado. Todos somos escandalosamente roubados. Façam contas: são muitos milhões que estão em jogo.

Só por isso - mas também por uma questão de princípio - o Estado tem obrigação de, por um lado, investir fortemente na fiscalização e na repressão; e por outro, na sensibilização e educação das pessoas para rejeitarem esta vergonha que prejudica tanta gente e beneficia de forma escabrosa meia dúzia de senhores"

Autores (SPA)/2004

Sem comentários: